ULS da Lezíria realizou mais de duas centenas de cirurgias ao cancro de mama em 2023

Escrito por em 10 de Abril, 2024

IMG: ULS Lezíria.

Em 2023, a Unidade de Patologia Mamária da Unidade Local de Saúde da Lezíria realizou 215 cirurgias para tratamento do cancro da mama. Durante o mesmo período, mais de 500 primeiras consultas foram realizadas na Unidade, resultando no diagnóstico de mais de 200 novos casos de cancro de mama. De acordo com a Unidade, “o aumento significativo do número de casos de cancro de mama em mulheres com menos de 40 anos é notável, especialmente se se tiver em consideração que muitas delas apresentam alterações genéticas”.

Criada em 1998, esta Unidade assume como missão a prevenção, o diagnóstico e tratamento da patologia mamária, com enfoque na patologia maligna, orientando-se por elevados padrões de rigor e qualidade, de modo a propiciar às utentes o apoio e a atenção necessários na sua jornada terapêutica. A unidade é composta por uma equipa multidisciplinar que integra ginecologistas, um cirurgião geral, imagiologistas, anátomo-patologistas, oncologistas médicos, radioterapeutas, dois cirurgiões plásticos com dedicação à Senologia, enfermeiras senólogas, uma secretária clínica, entre outros profissionais de outras áreas complementares.

De acordo com Madalena Nogueira, coordenadora da Unidade de Patologia Mamária, em 2023, 60% das cirurgias realizadas ao cancro da mama foram conservadoras, constituindo-se como objetivo em 2024 atingir os 70%.

A Unidade tem sido pioneira em diversas áreas destacando-se na implementação do modelo “One Day Surgery” no tratamento cirúrgico do cancro da mama. Neste modelo as doentes são submetidas a cirurgia, conservadora ou radical, e têm alta no mesmo dia da intervenção ou antes de completarem 24 horas pós cirúrgicas.

Para além disto, o serviço de radiologia também tem demonstrado estar na vanguarda na deteção precoce e na avaliação de lesões mamárias suspeitas, com a introdução da mamografia espectral com contraste, em 2016, sendo o primeiro hospital a nível nacional a ter este tipo de exame inovador. Prevê-se, ainda, para breve a implementação de dispositivos com tecnologia radar que irá permitir a localização de tumores não palpáveis e a marcação dos gânglios axilares.

O serviço de anatomia patológica disponibiliza às utentes da Unidade a análise molecular do gânglio sentinela (OSNA) e a análise do genoma do tecido tumoral, realizada nos Estados Unidos. Esta última análise é crucial para determinar o risco de recorrência do cancro e prever a possível resposta à terapia hormonal e à quimioterapia, possibilitando uma abordagem personalizada do tratamento para cada paciente.

A Unidade de Patologia Mamária oferece uma variedade de opções terapêuticas, incluindo radioterapia e quimioterapia. O facto de ter estas ferramentas terapêuticas disponíveis no hospital não só proporciona comodidade às utentes, como também garante o acesso a cuidados de saúde de excelência.

Em 2022, a Breast Centres Network certificou, novamente, a Unidade de Patologia Mamária reafirmando a excelência no tratamento do cancro da mama neste centro. A Breast Centres Network agrega uma rede internacional de centros clínicos dedicados exclusivamente ao diagnóstico e ao tratamento do cancro da mama, incluindo as Unidades de Mama que preencham os requisitos para serem considerados centros de referência.


Faixa Atual

Título

Artista