Produção do vinho de talha inscrito no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial

Escrito por em 27 de Dezembro, 2023

A Produção do Vinho de Talha foi inscrita no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial, pela Direção-Geral do Património Cultural (DGCP), conforme publicação em Diário da República de dia 14 de dezembro.

Na referida publicação é destacada a importância de que se reveste esta manifestação do património cultural imaterial enquanto reflexo da identidade da comunidade envolvente e a sua profundidade histórica e evidente relação com outras práticas inerentes à comunidade.

O Alentejo tem sido a região do país “guardiã” desta tradição. Recorde-se de que, por exemplo, por todo o Concelho de Mora, em especial na Freguesia de Cabeção, a prática da produção do vinho de talha está enraizada, onde são ainda muitos os produtores que recorrem às técnicas artesanais e ancestrais para produzirem os seus néctares.

Anualmente, o Município tem por hábito realizar, também, a Prova do Vinho Novo de Talha de Cabeção. Em 2024, esse evento acontece nos dias 26, 27 e 28 de janeiro.

Na primeira fase da produção do vinho de talha, as uvas são esmagadas e colocadas dentro das talhas de barro e a fermentação ocorre espontaneamente.

Durante a fermentação, as películas de uvas que sobem à superfície e formam uma capa sólida são mexidas com um rodo de madeira e obrigadas a mergulhar no mosto, para assim transmitir ao vinho mais cor, aromas e sabores. Terminada a fermentação, essas massas assentam no fundo.

IMG: Vinhos do Alentejo.


Faixa Atual

Título

Artista