Coruche: Museu Municipal reabre com exposição temporária do fotógrafo Armindo Cardoso

Escrito por em 24 de Junho, 2024

IMG: Câmara Municipal de Coruche.

Depois de um processo de requalificação e implementação de medidas de eficiência energética, o Museu Municipal de Coruche vai reabrir, no próximo dia 29 de junho, às 18h00. O momento marcará, também, a inauguração da exposição “Armindo Cardoso, um fotógrafo humanista em Coruche” e a reabertura da exposição de longa duração “Coruche: o Céu, a Terra e os Homens”. O evento prevê ainda atividades organizadas pelo Festival Terras sem Sombra, desaguando num concerto de música clássica junto ao rio Sorraia.
Iniciado a 1 de janeiro de 2022, o projeto de requalificação do Museu teve um custo total de 479.365,35 euros, com apoio financeiro da União Europeia (FEDER) no valor de 144.168,68 euros. De acordo com o Município, as intervenções não só preservam a integridade do edifício, como incorporam tecnologias inovadoras que permitem reduzir em 42,2% o consumo anual de energia primária.

A exposição de longa duração, “Coruche: o Céu, a Terra e os Homens”, foi enriquecida com novas tecnologias, incluindo um projeto 3D financiado pelo Alentejo 2020, assente na digitalização de peças significativas como a pedra de anel do século I d.C. com a efígie da deusa Minerva, que constitui o logótipo do Museu, e o ceptro medieval que atestava a representação do poder régio na comunidade, proporcionando uma nova forma de interação e estudo do património cultural. Adicionalmente, uma nova vitrina, financiada pelo programa ProMuseus, exibe o sino de 1287, o mais antigo de Portugal, numa estrutura que utiliza a matéria-prima autóctone da cortiça com dupla função: estética e de minimização da humidade como forma de preservação da importante peça.

Já a exposição temporária “Armindo Cardoso, um fotógrafo humanista em Coruche”, vai ser inaugurada na presença do autor, um homem de muitas geografias que também fez a História de Coruche. Esta exposição, que estará patente até ao final do ano, reúne uma seleção das 25.600 imagens captadas durante a sua
colaboração com o Município entre 1979 e 1989, e novamente em 2006.

Paralelamente, Coruche recebe um conjunto de iniciativas organizadas pelo coletivo do Festival Terras sem Sombra, evento cultural de caráter nacional e internacional que abarca a música erudita, o património e a biodiversidade. Assim, a 29 de junho, às 15 horas, realiza-se a atividade “Da Ermida de Nossa Senhora do Castelo ao Centro Histórico”, uma visita guiada ao património que nos leva da Idade Média à contemporaneidade. Mais tarde, às 22 horas, navegando por águas dos séculos XVII e XVIII, acontece na margem direita do rio Sorraia o espetáculo de música clássica e contemporânea do ensemble “La Nave Va”, um concerto acolhido pela primeira vez no Ribatejo, com direção musical e flautas de António Carrilho, Duncan Fox no violone, Helena Raposo na tiorba e na guitarra barroca, e Armando Possante, barítono que se apresenta regularmente como solista em recital, oratória e ópera.

No domingo, 30 de junho, das 9h30 às 12h30, a equipa Terras sem Sombra promove ainda a atividade de salvaguarda da biodiversidade “Onde o Mediterrâneo e o Atlântico se Encontram: O Montado, Património Mundial da Humanidade, no Concelho de Coruche”. A iniciativa inclui uma visita ao rancho de tiragem de cortiça na Herdade dos Leões, em Lamarosa, proporcionando uma experiência singular de exploração e preservação deste ecossistema único, enriquecido pela partilha de conhecimentos de José Custódio Alves, localmente conhecido como “Cabeça de Ferro”, um dos maiores empreiteiros florestais portugueses e reconhecido empresário da fileira da cortiça.


Faixa Atual

Título

Artista