Cancro da Próstata é a segunda maior causa de morte por cancro em homens acima dos 50 anos de idade

Escrito por em 17 de Novembro, 2023

Assinala-se, hoje, 17 de novembro o Dia Mundial do Combate ao Cancro da Próstata, um dos tumores mais frequentes em indivíduos do sexo masculino, sendo considerado a segunda causa de morte oncológica mais comum desta população. O Instituto da Próstata estima que em Portugal são diagnosticados entre 5.000 a 6.000 novos casos de cancro da próstata por ano, o equivalente a 21% de todos os tumores no homem. Em média, um em cada seis homens será diagnosticado com cancro da próstata ao longo da sua vida.

O cancro da próstata é um processo de crescimento anormal e desorganizado de algumas células desta glândula do sistema reprodutor masculino, que nas situações onde o diagnóstico ou o tratamento se atrasam levam a uma proliferação descontrolada da patologia. Na maioria dos casos o tumor caracteriza-se pela sua lenta evolução e apresenta um comportamento assintomático. O tipo e intensidade das queixas dependem do estádio da doença. Quando o tumor metastiza, ou seja, ultrapassa os limites da próstata e afeta outros órgãos, podem existir sintomas diferentes e não relacionados com o aparelho urinário. Os locais de metastização mais comuns são os gânglios linfáticos e o osso.

Os sintomas associados a esta patologia são:

  • Dificuldade em urinar;
  • Aumento da frequência em urinar, especialmente durante a noite;
  • Urinar em pequenas quantidades;
  • Sentir dor pélvica ou ter incontinência urinária;
  • Sangue na urina/sémen.

Os hábitos alimentares, como o consumo de álcool, exposição ocupacional a produtos tóxicos, comportamento sexual, exposição a testosterona, obesidade e inflamação crónica são habitualmente apontados como sendo eventuais fatores de risco para o desenvolvimento da patologia. O cancro da próstata tem um impacto considerável na qualidade de vida dos doentes, sendo a disfunção urinária, a disfunção sexual e o desequilíbrio da saúde mental as áreas mais afetadas.

Apesar de não se ter demonstrado que o rastreio consiga aumentar o tempo de sobrevida, o resultado de um cancro da próstata diagnosticado numa fase precoce é significativamente melhor do que num estádio mais avançado. O principal objetivo do diagnóstico precoce consiste na identificação das pessoas com cancro clinicamente significativo e localizado, de forma a possibilitar a realização de tratamentos potencialmente eficazes e curativos. Detetar o cancro da próstata numa fase precoce permite tratar com uma taxa de cura que pode ser superior a 95%.

O cancro da próstata atinge todas as faixas etárias, mas nos últimos anos tem aumentado de forma significativa nos grupos mais jovens. A sobrevivência estimada ao fim de 5 anos após o diagnóstico é praticamente 100%.

IMG: Pixabay (Ilustrativa).


Faixa Atual

Título

Artista