Agricultores não desarmam das suas reivindicações em França

Escrito por em 29 de Janeiro, 2024

Mesmo depois de, no último domingo, dia 28 de janeiro, o Primeiro-Ministro Francês, Gabriell Attal, ter anunciado medidas adicionais destinadas à Agricultura os agricultores daquele país estão determinados em manter a pressão sobre o Governo.

Para esta segunda-feira, dia 29, estava previsto para as 14h00 locais (13h00 em Lisboa) um bloqueio convocado pelos principais sindicatos do setor agrícola que pode paralisar os aeroportos de Paris e o mercados de Rungis, o maior mercado de produtos frescos de França.

Já na sexta-feira, Gabriell Attal tinha anunciado medidas de emergência como uma isenção fiscal sobre o gasóleo agrícola, o compromisso de negociar em Bruxelas a revogação da obrigação de deixar 4 por cento das terras em pousio e a aceleração dos pagamentos da Política Agrícola Comum (PAC), da qual a França é o principal beneficiário, com nove mil milhões de euros por ano.

No entanto, para os principais sindicatos do país estas medidas revelam-se “insuficientes” e garantem que “enquanto estas reivindicações – dos agricultores – não forem satisfeitas, a mobilização será total”, afirmou o presidente da Federação Nacional dos Sindicatos dos Operadores Agrícolas (FNSEA), Arnaud Rousseau.

IMG: Pixabay (Ilustrativa).


Faixa Atual

Título

Artista